4 de junho de 2011

‘Vou ficar óptima’, disse para si própria. ‘Aconteça o que acontecer vou sobreviver, como já tive de fazer uma vez. Posso fazê-lo com ou sem ele.’
‘Não, não podes’, gritou-lhe subitamente uma voz dentro de si. Foi-se abaixo. Com as lágrimas a correrem em fio, encostou na berma. Com o carro parado e o vapor de água a condensar-se nos vidros, ela chorou como nunca tinha chorado.
(…) Mas uma noite ao chegar a casa, olhou para o apartamento onde vivia e ficou estupefacta. Não queria acreditar no que estava a ver. Fechou-se os olhos e depois abriu-os lentamente, a rezar, á espera que fosse verdade.
Era.
Não conseguiu deixar de sorrir.
Lá dentro, lá estava ele, á sua espera.

41 comentários:

  1. muito obrigada, gostei e já sigo *

    ResponderEliminar
  2. arrepiante, mas realmente doce no final :)

    ResponderEliminar
  3. Depois da "tempestade" vem a bonança . Nada de mais agradável do que uma história com final feliz.
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Qe texto lindooo *__*

    (comenta antes no outro blog qe tenho, da 3ºgeracao, o outro ta desactualizado :s)

    ResponderEliminar
  5. Oooh ! Adorei o texto!
    Muitos, muitos parabéns! :')

    ResponderEliminar
  6. Acontece e quando acontece não há palavras que descrevam esse momento.

    ResponderEliminar
  7. Obrigada (:
    Também gosto muito do teu e sigo.

    ResponderEliminar
  8. Que lindo o seu cantinhoo..
    adorei aqui!!

    estou seguindo..
    retribui??

    beijos
    http://pathyoliver.blogspot.com
    http://momentosdapathy.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Olá! Obrigada pelo teu comentário! ^^ Ainda bem que gostaste! :D Realmente no teu texto ela teve uma grande surpresa! :D Gostei muito! beijinho!

    ResponderEliminar
  10. muito obrigada !
    adorei, está mesmo lindo !

    ResponderEliminar